TESTEMUNHOS DE ELEMENTOS ENVOLVIDOS NO PROJETO

Rui Cardoso

Aluno do Curso Operador de Informática, Escola Profissional de Fafe

É com muito gosto que dou o meu testemunho sobre o projeto "Humanfulness: O Heartfulness associado ao Mindfulness - Um caminho para a plenitude do Ser Humano". Acima de tudo acho que este projeto, pessoalmente, me está a fazer muito bem pois estou bastante melhor em termos emocionais, ou seja, tenho conseguido lidar melhor com os meus sentimentos, sabendo distinguir o que vai dentro de mim. Em termos físicos sinto-me mais "saudável", controlo melhor o meu esforço para conseguir ter maior resistência ao longo da atividade física. Relativamente aos benefícios sociais também tenho sentido melhorias em socializar com as pessoas, sinto-me mais dentro da sociedade de forma a compreendê-la melhor! Por último, em relação aos benefícios mentais, tenho a dizer que me sinto uma pessoa bastante "madura", conseguindo ter opiniões corretas sobre diversificados assuntos. Aproveito também para dizer que na minha opinião este projeto tem “pés” para andar rapidamente! Para concluir quero dar os meus parabéns à Professora Célia Soares, ao Professor Jorge Brandão e ao Professor Doutor Ricardo João Teixeira por este trabalho magnífico que têm vindo a desenvolver.
ruic

Carina Fernandes

Encarregada de Educação - Escola Profissional de Fafe, Escola Profissional de Fafe

Sou Encarregada de Educação de uma aluna que frequenta o 10º ano do curso de Técnico de Multimédia na Escola Profissional de Fafe e tomei conhecimento do projeto: “Humanfulness: O Heartfulness associado ao Mindfulness – um caminho para a plenitude do Ser Humano” numa reunião com a Diretora de Turma, a Professora Célia Soares. A minha educanda já me tinha falado um pouco sobre o projeto que neste momento estão a implementar. Acho este projeto muito importante para que os nossos filhos se desenvolvam em vários níveis, por forma a ajudá-los nesta fase como estudantes e no seu futuro como adultos trabalhadores. Traz muitos benefícios, ajuda ao autoconhecimento, ajuda a regular stress e ansiedade assim como melhora os padrões do sono, aumentando a disponibilidade física, melhorando os níveis de concentração consequentemente melhora a capacidade, e memória de trabalho. Protege o cérebro de determinadas patologias sobretudo do envelhecimento precoce. Por consequência ajuda a desenvolver a inteligência emocional mesmo através da criatividade, com benefícios sociais a vários níveis. Como mãe espero que os nossos filhos aproveitem este projeto para o puderem colocar em prática toda a vida. Lanço um desafio, no final do ano letivo, sugiro que os nossos filhos/ alunos da Escola Profissional de Fafe, em conjunto com a comunidade educativa envolvida neste projeto nos possam brindar com uma pequena sessão/amostra dos conhecimentos adquiridos.
cc_fernandes

Ana Cardoso

Professora - Escola Profissional de Fafe, Escola Profissional de Fafe

Como professora de uma turma do 1º ano do curso profissional onde tem vindo a ser aplicado este projeto, devo referir que este, é já uma aposta ganha. Inicialmente, à exceção de um ou outro elemento, esta era uma turma com um comportamento muito infantil, dispersava-se com facilidade e era muito difícil encontrar consenso. Qualquer acontecimento em sala de aula servia para a emissão de opiniões diversas, a maioria das vezes pouco assertivas, chegando mesmo ao ponto de se alterarem os ânimos, caso não houvesse uma intervenção imediata da minha parte. Após algumas sessões de Humanfulness a diferença foi significativa. A maioria dos alunos passou a manifestar uma postura mais serena, mais atenta e mais focada nas atividades em sala de aula, conseguindo desta forma uma concretização mais positiva das tarefas. Quando a turma é solicitada a participar ou opinar sobre um determinado assunto, esta é feita de forma mais ordeira sem que seja necessário elevar a voz para se fazerem ouvir. Assim sendo, com a diminuição dos comportamentos dispersivos, a minha intervenção passa essencialmente por dar indicações e orientar os alunos nas diversas atividades em sala de aula sem que seja necessário chamadas de atenção frequentes. Por fim, é importante salientar, que ultimamente tenho notado uma maior a empatia entre os diversos elementos da turma, bem como um espírito de grupo mais coeso.
Foto_Prof. Ana cardoso

Marco Freitas

Encarregado de Educação, Escola Profissional de Fafe

Existem vários estudos científicos que concluem sobre os benefícios do Mindfulness e do Heartfulness para o bem-estar das pessoas, na melhoria da atenção, do foco, na promoção da empatia, compaixão e nas relações interpessoais. Na Finlândia é até uma disciplina no ensino básico. Crê-se que ajuda a desenvolver melhores pessoas, pessoas mais felizes e mais sucedidas nas suas intenções. ​ Pelo que, acho uma mais valia darem a oportunidade aos nossos educandos de participarem num projeto destes.
ee_freitas

Cristina Mendes

Professora - Escola Profissional de Fafe, Escola Profissional de Fafe

Ao longo deste ano letivo, a Professora Célia Soares, o Professor Jorge Brandão e o Prof. Doutor Ricardo J. Teixeira têm desenvolvido um projeto chamado: Humanfulness em algumas turmas que ministro. Trata-se de um projeto que decorre durante oito semanas, nas quais são aplicadas práticas formais e informais. O Humanfulness consiste em abrir um caminho para a plenitude do ser humano, ou seja atingir a consciência plena, consciência esta que só nos trará benefícios em várias áreas como: bem – estar geral, físico, mental emocional e social. Quantas vezes pedimos aos alunos para estarem atentos e acabamos por exercer enumeras estratégias para lhes captar a atenção? Ora, com este programa tenho vindo a observar que eles têm melhorado não só em termos sociais como emocionais. Sinto que estão mais calmos, que se relacionam melhor com os seus colegas, que se concentram nas atividades propostas, que conseguem controlar melhor momentos de ansiedade, já que sabem como intervir nestes casos. Em suma, embora se trate de um projeto experimental, a meu ver sinto que terá muitos benefícios, se for praticado nas escolas, uma vez que tanto alunos, como professores conseguirão estar mais atentos e relaxados em sala de aula, logo conseguirão obter melhores resultados em termos de aproveitamento e comportamento.
cristina

Miguel Ferreira

Aluno do Curso Técnico de Multimédia, Escola Profissional de Fafe

O meu nome é Miguel Ferreira da turma 16.10 da Escola Profissional de Fafe. Recentemente fui submetido a um programa de atenção plena, ou mais concretamente, MINDFULNESS, na minha escola que de certa forma foi para além disso, abrangendo até o contacto com um novo tipo de prática definido e um conceito inovador. No que me diz respeito, posso admitir que este não foi o meu primeiro contato com este tipo de meditação. Há algumas semanas atrás tinha despertado interesse por este tema, por acaso até cheguei a comprar um livro sobre o assunto. Confesso que achei interessantes as suas metodologias e meios, mas tinha algumas dúvidas em relação aos resultados. Também conhecia, mas não tão pormenorizadamente, o HEARTFULNESS que consiste numa pratica mais direcionada ao nosso eu interior, desenvolvendo compaixão e amor-próprio. Antes de começarmos este projeto tivemos um workshop sobre o assunto, realizado pelo Prof. Doutor Ricardo João Teixeira, onde foi revelado então o que realmente iamos realizar... "HUMANFULNESS" a junção destes conceitos, um neologismo desenvolvido pela nossa professora, Célia Soares, que significaria não só a consicencia plena no presente e no que nos rodeia como também na nossa maneira de ser e assim aceitarmo-nos incondicionalmente, desenvolvendo amor incondicional por nós e pelos outros. Acho que essa introdução ao tema foi bastante aliciante para comecar o programa das 8 semanas. Quando começamos as práticas na sala de aula nunca pensei que fossemos levar aquilo a sério, mas acabou por nos cativar em geral, na verdade se bem me recordo logo na primeira prática denominada por meditação do chocolate fomos todos surpreendidos e, pelo menos para mim revelou-se bastante interessante sentir algo tão surpreendente de alguma coisa tão banal e natural. As práticas informais foram sem dúvida fora do normal, isto no bom sentido claro. Prestar atenção a uma atividade rotineira ajudou-nos a perceber que muitas vezes deixamos pequenos prazeres escapar-nos por entre os dedos devido ao stress do nosso quotidiano e que acima de tudo devemos aproveitar mais o presente, desligando o piloto automático. O exercício de gratidão dos dez dedos ajudou-nos a ver que apesar de todas as coisas más que temos a acontecer, existem ainda coisas que podemos dar graças e não chega uma mão para contá-las. Outras atividades também têm sido realizadas como a ida ao parque da cidade para fazer alongamentos centrados no ioga em contacto com a natureza, a visita ao canil de Fafe, para estarmos mais próximos dos animais e ajudá-los contribuindo com mantimentos, entre outros libertadores de hábitos propostos semanalmente. Todas estas práticas foram para mim algo “fora da caixa” quero eu dizer que foram diferentes, tanto por serem praticadas na escola como também por me darem precessão de alguns aspetos da vida que não tinha tanta noção. Já nas práticas formais devo admitir que nos primeiros momentos tive alguma dificuldade em me concentrar, mas tudo se resolveu e mais tarde já me sentia à vontade o suficiente para estar na sala de olhos fechados e prestar atenção ao que era pedido. Posso afirmar que nunca pensei que dar atenção a algo tão simples como a respiração fosse tão reconfortante. De facto, esta serve como uma âncora do momento presente e ajuda-nos a manter o foco. No final destas sessões eu abria muitas vezes os olhos com vontade de permanecer com eles fechados sem saber porquê, talvez porque me sentia relaxado ou porque estava menos preocupado com pensamentos ou apenas porque estava “noutro mundo”, sinceramente nem eu sei, só sei que me sentia bem. O que eu quero dizer é que o contacto com estas práticas me têm afetado pela positiva. Embora estes se revelem lentamente e a longo prazo e às vezes apenas com pouca intensidade, eles estão lá. Por exemplo, quando estamos perante um momento stressante, respirar fundo pode ser suficiente para mudar as coisas e isso MINDFULNESS mostrou-me. Mesmo a nível escolar os benefícios têm sido claros, entrar num teste com aqueles pensamentos de ansiedade é realmente frustrante, mas ter a capacidade de saber que esses pensamentos não somos nós e que a realidade não será essa já nos dá outra energia. Numa prespetiva mais abrangente, o HUMANFULNESS para além de nos ajudar a diminuir a divagação mental, aumentando o sucesso escolar também nos ajuda a melhorar as relações connosco próprios, colegas, amigos e familiares, aumentando a amabilidade e a compaixão. Enfim, tornamo-nos seres humanos mais evoluídos. Na minha opinião este tipo de prática é bastante agradável a nível escolar e bastante benéfico a nível pessoal, isto claro se encarado com a devida importância e dedicação por parte de toda a comunidade escolar.
Aluno Miguel Ferreira